Ocorreu um erro neste gadget

sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

E será que confiamos?

Há muito tempo venho remoendo algo que não deu certo e que eu queria muito que desse. Acabou acontecendo que percebi os vestígios de que talvez por medo, desconfiança, incertezas, eu mesma sabotei a relação. A verdade é que eu dizia confiar, mas na verdade não confiava, tinha medo de ser passada pra trás ou algo assim. E isso é tão ruim sabe, você não confiar no outro, que me propus a não importando as consequências: confiar. Pois não se ganha sem arriscar. Essa foi minha proposta pra mim mesma, antes de ano novo, antes de datas pré estabelecidas, pois se trata da minha felicidade. Então ao menos por hoje permita-se gostar e ser 'gostada', permita-se ser feliz e fazer ao outro feliz, a gente vive tão pouco que se ferir faz parte, mas ser alegre é o motivo.


quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

Acredite nas pessoas, acredite em você

Sempre usamos o final do ano como desculpa, então quero que você use como uma boa desculpa, uma desculpa pra conseguir acreditar nas pessoas, na generosidade, sinceridade, honestidade, fidelidade,amizade ou seja o que for. Comece você por ser alguém com quem o seu próximo possa contar, possa estar nos momentos bons e felizes mas também em outros nem tanto, em momentos de dificuldades onde o que mais se precisa é de um amigo, de um ombro, de saber que você não precisa carregar um fado enorme sozinho. Escute o ditado "quando estou numa boa meus amigos me conhecem, quando estou numa pior eu é que conheço meus amigos.."

2012 foi um ano surreal pra mim, onde Deus me ajudou em muitos sentidos. Foi um ano de conquistar meu lugar em um outro lugar totalmente novo e desconhecido. Tive minhas dificuldades, sempre tive tudo que precisei mas nem sempre tive tudo o que quis, espero que vocês saibam a diferença, mas também espero que entendam que toda minha vida foi vendo dois protagonistas entrando em cena, minha pequena grande família, meus pais. Se eu fosse contar 10% da história de cada um teria que ficar muito tempo aqui, então vou resumir a partir desses anos que os conheço. Minha mãe, é uma figura de generosidade, é a essência de que o coração de mãe não tem tamanho e muito menos egoismo, ela é realmente linda e amorosa, sempre viveu diretamente pra mim, pra segurar minha mão pra amenizar minhas angústias. Sobre meu pai, é um homem forte, de muito caráter assim como minha mãe, acho que não conheço pessoa mais honesta e digna, trabalhador, que sempre lutou muito pra ter tudo o que conquistou, de origem humilde e alma mais ainda. Pra mim eles são dois anjos, que não tiveram uma vida fácil mas que facilmente me deram amor, esperança e garra pra vencer os obstáculos.

Não se importe com o que as pessoas pensam sobre você, pois quando você deitar a cabeça no travesseiro e ter a consciencia limpa é isso o que recompensa todo o resto.

Falei sobre meus pais, pra que vocês vejam como é o amor que eu acredito, um tipo de amor puro que não pede nada em troca, que é feliz de se doar. Seja assim pra alguém, mesmo que não seja da família, faça o bem e não olhe a quem. Seja uma pessoa que você possa se orgulhar, porque não tem felicidade maior do que ser feliz e ver o próximo feliz!

Acredite que anjos existem e eles aparecem pra nós, em forma de pessoas quaisquer que se tornam muito mais que amigos ou conhecidos. Simplesmente acredite.


sábado, 15 de dezembro de 2012

Segundas chances

Inspirada na música que não sai da minha cabeça hoje, surge esta postagem, um tanto quanto conturbada levando em consideração o meu rendimento pessoal após ingerir ou não álcool  mas isso não faz parte da postagem.

É fato você se relacionar. Conhecer pessoas, desfrutar de companhias, mas repare, você encontra a pessoa numa boate, pra iniciar o cara já tá com uma bebida na mão, você talvez até com duas, ou então, você encontra num barzinho, preciso repetir sobre o álcool? É, também acho que não é necessário. Mas o tema aqui é você conhecer alguém, fazer algo e colocar toda culpa pra cima do álcool, mas che, que desculpa bem deslavada tu não achas? Aí tirei a ideia pra um pensamento bem estranho.Vamos trocar os culpados então, de "você" para "álcool", se liga só..

O álcool te levou a sair com a pessoa. Uma, duas, três, mil vezes. Esse danado desse álcool. Então como se não fosse o bastante o tinhoso foi o motivo de você começar a se apaixonar pelo vivente canalha, ôra que canha bem desgracenta. Agora também sempre tem aqueles casos em que o álcool faz você dar uma segunda chance a um relacionamento perdido, e de novo esse trapaceiro.

Percebam que eu estou me referindo ao álcool como um placebo, pra que as pessoas percebam que começar algo de um jeito errado e depois insistir no erro é burrice, ignorância.

Dar uma segunda chance, não-dá-certo! É que nem andar de bicicleta, você sabe como vai iniciar, sabe como vai ser pra dar continuidade e sabe exatamente como vai acabar.

Só dê uma segunda chance se for a você mesmo.

Um pause na comunicação subordinada

Viver é tomar impulso, é ir pra frente porque atrás vem gente e etc e tal como todo mundo sabe, mas uma coisa é isso, outra muito diferente é esse tipinho de gente que faz o que quer, fala o que quer, sem curtir as consequências. Acordam de humor negro 7 dias da semana e se alguém não gosta da arrogância e estupidez, trata como se a pessoa é que fosse errada, devia ficar quieta de certo. Também tem aquele tipo que a vida nunca tá boa o suficiente e fica de fofoquinha e maledicência pra cima dos outros, as custas de pessoas que muitas vezes nem conhece a voz. Não vamos esquecer do tipo de cara que fica falando mal das "piriguetes" mas sempre tá com uma dentro do carro rebaixado e som cabrito a todo volume. Sem falar do tipo de guria que faz o escambau pela cidade e depois paga de santa nas redes dizendo que as pessoas não dão valor. Regra 1: O primeiro amor, é o próprio!
Sociedade facebookiana que paga pau pra todo mundo, me desculpem o linguajar mas é verdade. Ler um livro ninguém quer, se importar com o próximo é tipo "Que próximo? Aquele esculhambado ali?" Sociedade de rótulos, pobre, rico, bonito, feio, e isso não é de agora, não venham com essa pra cima de mim, isso nasceu junto com a espécie homo sapiens. Tem gente que fica enfiada num buraco anticultural por toda vida e a única coisa que penetra esse antro de ignorância é jornal diário da vizinhança.
Olha pra dentro de si, nunca é tarde pra concertar o erro, porque um dia tu vai ser um pai, uma mãe, então me faz o favor de não ser uma merda de educador/pais estragando toda chance de criar um bom ser humano.